A colheita da cultura teve avanço de três por cento no Estado, atingindo 78% das áreas implantadas nessa safra; 14% delas estão maduras e 8% em enchimento de grãos. A semana foi de tempo seco na maior parte do Estado. No Planalto Médio, a colheita atingiu 90% da área (incremento de 10% na semana).

Até agora, abril apresentou chuvas mais escassas no RS, fator que reflete negativamente nas lavouras que se encaminham para o final de ciclo. Na região Sul, onde a colheita chegou a 35% da área, não houve precipitações significativas, impactando negativamente na produtividade e produção da cultura.

Nas regiões da Campanha e Fronteira Oeste, as lavouras do tarde sentiram reflexos em função da limitação de umidade no solo, apresentando plantas com menor porte e espigas com menor tamanho, além do secamento antecipado das folhas baixeiras, que afeta o enchimento dos grãos e o rendimento potencial de silagem. Nas áreas com solos rasos ou pedregulho, o milho safrinha está com desenvolvimento lento, devido à pouca chuva dos últimos dias.

Nas regiões da Fronteira Noroeste e Missões, a colheita foi realizada em 82% das áreas. O clima no período foi bom, com temperaturas de 16 a 30°C, favorecendo o bom potencial produtivo da cultura. Mesmo sem chuvas generalizadas, a umidade relativa do ar alta e a presença de orvalho mantêm o bom desenvolvimento do cereal.



Nas regiões do Alto Jacuí, Celeiro e Noroeste Colonial, a colheita do milho ainda não foi retomada, pois as unidades recebedoras ainda estão direcionadas para a cultura da soja. Algumas áreas previstas inicialmente para a confecção de silagem estão sendo direcionadas
à colheita de grãos, devido ao bom rendimento da cultura nas duas épocas de cultivo e à elevação do preço do grão.

Na Serra a colheita está em andamento. Já na região dos Campos de Cima da Serra, a do milho está em segundo plano, aguardando finalização da colheita da soja. Alguns Informativo Conjuntural. Porto Alegre, n. 1550, p. 6, 18 abr. 2019 pequenos produtores estão construindo silo secador para armazenar esta safra em andamento; outros já se antecipam e planejam construir silos para armazenamento da safra 2019-2020. O silo secador com ar natural tem garantido o armazenamento seguro e mantendo a qualidade do milho nas propriedades.

Na região do Alto Uruguai, ocorre venda direta a produtores que buscam o cereal para alimentação de suínos em terminação, porcas ou bovinos confinados, com preços que variam de R$ 38,00 a R$ 40,00/sc.

Mercado (saca de 60 quilos)

O preço médio do milho no RS foi cotado a R$ 31,35/sc., conforme o levantamento semanal de preços da Emater/RS-Ascar. Esse preço, comparado ao da semana anterior, teve uma queda de -0,92%. O preço do produto disponível em Cruz Alta de R$ 38,00/sc., com cotação estável.

Fonte: Emater/RS

Texto originalmente publicado em:
Informativo Conjuntural 1.550
Autor: Emater/RS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.