O mercado brasileiro de milho registrou uma semana de preços mais baixos para o milho. Segundo a Safras Consultoria, apesar de ainda haver uma especulação climática, por conta da ausência de chuvas esperadas para o Centro-Sul do Brasil nos próximos sete dias, o produtor mudou sua estratégia de negócios e passou a ofertar maiores volumes do cereal para venda, o que ajudou a derrubar os preços.

A decisão dos produtores, contudo, trouxe poucas mudanças no mercado. Os consumidores mantêm aquisições pontuais e devem se manter distantes dos negócios esperando a entrada da safrinha de milho nos estados, em meio ao avanço da colheita. A expectativa é de uma ampla oferta de milho, o que pode vir a pressionar as cotações daqui para frente.

O dólar voltou a mostrar sinais de força ao longo da semana, mas os preços no porto não chegaram a avançar muito, situados entre R$ 59,00 a R$ 61,00 em Santos para o período julho a setembro. Os line-ups já sinalizam uma leve melhora nos volumes previstos de embarques, mas ainda não há ponto de garantirem novamente um suporte aos preços internos.

No cenário internacional, a Bolsa de Chicago até chegou a esboçar uma reação ontem, mas o indicativo de bom andamento do plantio e de um clima favorável ao desenvolvimento das lavouras de milho nos Estados Unidos deve manter um quadro de pressão às cotações internacionais do milho.

Preços internos

O valor médio da saca de milho no Brasil foi cotado a R$ 56,27 no dia 6 de junho, queda de 1,86% frente aos R$ 57,33 registrados na semana passada. No mercado disponível ao produtor, o preço do milho em Cascavel, Paraná, baixou 5,00% de R$ 60,00 para R$ 57,00. Em Campinas/CIF, a cotação baixou 6,15%, de R$ 65,00 para R$ 61,00. Na região da Mogiana paulista, o cereal foi cotado a R$ 57,00, queda de 5,00% frente aos R$ 60,00 da semana passada.

Em Rondonópolis, Mato Grosso, a cotação da saca seguiu em R$ 42,00. Em Erechim, Rio Grande do Sul, o preço continuou em R$ 65,50 na venda.

Em Uberlândia, Minas Gerais, o preço na venda subiu 1,89%, de R$ 53,00 para R$ 54,00 a saca. E em Rio Verde, Goiás, o preço caiu 4,00%, de R$ 50,00 para R$ 48,00 na venda.

Exportações

As exportações de milho do Brasil apresentaram receita de US$ 87,374 milhões em maio (21 dias úteis), com média diária de US$ 4,160 milhões. A quantidade total de milho exportada pelo país ficou em 421,374 mil toneladas, com média de 20,065 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 207,40.

Em relação a maio de 2023, houve baixa de 31,4% no valor médio diário da exportação, alta de 9,5% na quantidade média diária exportada e desvalorização de 37,4% no preço médio. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

Autor/Fonte: Arno Baasch / Safras News



 

FONTE

Autor:Arno Baasch / Safras News

Site: Safras & Mercado

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.