O sintoma observado a campo, mostrado em vídeo divulgado no canal do Youtube Professores Alfredo & Leandro Albrecht, mostra o que pode ser um possível mecanismo de resistência de buva ao herbicida 2,4-D.

Com a rápida necrose das buvas, após a aplicação do herbicida, a eficiência de controle é reduzida, acarretando em rebrote das plantas daninhas, aumentando a posterior matocompetição com a cultura de interesse econômico.


Amaranthus palmeri resistente a 2,4-D e dicamba nos EUA


Mais estudos devem ser realizados para que possamos conhecer melhor a causa destes sintomas e este possível novo mecanismo de resistência.

O 2,4-D é amplamente utilizado no manejo pré e pós emergência das plantas daninhas em diversas culturas, no Brasil, utilizado nas culturas da soja (pré-plantio), arroz, milho, trigo e cana-de-açucar. É utilizado também em mistura com glifosato, visando aumentar o controle de plantas resistentes a este herbicida, em decorrência do plantio direto (Silva et al., 2013).

Com seu amplo espectro de ação sobre plantas daninhas de folha larga (guanxuma, poaia, trapoeraba, etc), se torna uma importante ferramenta para o manejo da resistência em relação aos herbicidas inibidores de ALS.

Confira o vídeo abaixo:

Inscreva-se agora no canal dos Professores Alfredo & Leandro Albrechtaqui.


Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.