Na busca por altas produtividades de soja, uma série de fatores devem ser levados em consideração, visando adequar o cultivo às exigências da cultura, dentro dos recursos disponíveis e reduzindo na medida do possível a interferência de pragas, doenças e condições climáticas inadequadas.

Contudo, para isso é necessário compreender o desenvolvimento e exigências da soja, bem como suas limitações e fases de maior sensibilidade a estresses. Sendo assim, deve-se buscar entender “o que a soja gosta” para proporcionar as melhores condições para o crescimento e desenvolvimento da cultura, dentro das condições disponíveis.



Em vídeo o Professor da UFPR, Leandro P. Albrecht explica que durante seu ciclo de desenvolvimento, a soja necessita de diferentes condições para seu adequado crescimento, desenvolvimento e produtividade. Leandro demonstra que durante o período reprodutivo da cultura, ocorre um aumento do acúmulo de matéria seca na planta, sendo assim, a baixa disponibilidade de água ou nutrientes, assim como estresses decorrentes do ataque de pragas durante esse período, pode resultar em uma redução da produtividade da soja.

Figura 1. Acúmulo total de matéria seca em diferentes partes da planta de soja.

Adaptado: Potafos

O acúmulo de matéria seca inicia-se nas partes vegetativas da planta, porém, entre R3 e R5.5 transloca-se gradativamente para as vagens e grãos em formação (Potafos). Segundo Zanon et al. (2018), o perídio do enchimento de grãos é um período de rápido acúmulo de matéria seca, onde assim como durante o florescimento, déficits hídricos podem causar estresse, prejudicando a produtividade da cultura. Os autores ainda destacam que durante o período de enchimento de grãos, há uma alteração na rota de fotoassimilados, os quais passam a ser deslocados assim como a maior parte dos nutrientes, para a formação dos grãos.

Dessa forma, compreender nas necessidades da cultura é de fundamental importância para minimizar períodos de estresse, resultando em boas produtividades. Outro fato interessante comentado por Leandro, é que além do adequado aporte hídrico e nutricional visando boas produtividades, compreender as exigências da soja e seu desenvolvimento pode ser uma ferramenta essencial para o adequado posicionamento de práticas de manejo como o controle de plantas daninhas, sendo umas das alternativas destacadas por Albrecht, o encurtamento do PCPI (Período crítico de prevenção a interferência).

Dessa formal, além de estabelecer condições adequadas para boas produtividades, conhecer as exigências e particularidades da cultura pode ser uma importante ferramenta para proporcionar um manejo adequado da soja, aumentando a rentabilidade do cultivo, ou seja, a “importância de fazer a coisa certa, do jeito certo e na hora certa”.

Confira abaixo as contribuições do professor Leandro P. Albrecht.


Inscreva-se agora no canal dos Professores Alfredo & Leandro Albrecht, aqui.


Referências:

POTAFOS. COMO A PLANTA DE SOJA SE DESENVOLVE. Associação Brasileira para Pesquisa da Potassa e do Fosfato. Disponível em: < https://www.npct.com.br/npctweb/npct.nsf/article/BRS-3140/$File/Como%20a%20Planta%20da%20Soja%20Desenvolve.pdf >, acesso em: 05/01/2021.

ZANON, A. J. et al. Ecofisiologia da soja: visando altas produtividades. Ed. 1, Santa Maria, 2018.

Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube

 

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.