Em meio a tantas adversidades em cultivos agrícolas, distintas alternativas de manejo tem buscado proporcionar aumento produtivo aliado a sustentabilidade da lavoura. Tradicionalmente cultivado nas regiões Sul do Brasil, o trigo é uma complexa cultura onde além de suprir as necessidades das plantas, é essencial manejar pragas e doenças que podem reduzir sua produtividade.

Uma das ferramentas disponíveis visando o aumento de produtividade do trigo e a sustentabilidade da cultura é o uso do Trichoderma spp. são conhecidos e estudados no controle de patógenos de plantas, além deste tem sido observados que algumas linhas deste fungo tem a capacidade de estimularem diretamente o crescimento vegetal se estabelecendo na rizosfera (Oliveira, 2017).

Conforme destacado por Oliveira (2017), a promoção de crescimento por Trichoderma decorre da colonização rizosférica (rizocompetência) e produção de substâncias estimuladoras do crescimento vegetal, bem como da solubilização de nutrientes presentes nas proximidades das raízes, tornando-os assimiláveis. O fungo também é reconhecido no controle de inúmeros fungos fitopatógenos, pois atua com eficiência nos patógenos que possuem estruturas de resistência consideradas difíceis de serem atacadas por microrganismos (Silva, 2017).



Tendo em vista a funcionalidade do Trichoderma spp. e as vantagens da utilização do fungo, alguns autores a exemplo de Pradebon (2016) e Oliveira (2017) tem estudado a influência do fungo na produtividade do trigo. Oliveira (2017) avaliando diferentes cepas comercias de Trichoderma observou considerável aumento da produtividade do trigo com o uso do fungo em comparação a testemunha. As cepas avaliadas pela autora foram: Trichoderma harzianum IBLF 006 WP; Trichoderma harzianum IBLF 006 SC; Trichoderma harzianum ESALQ 1306; Trichoderma asperellum URM 5911; além dessas, a autora também avaliou um fertilizante organomineral (Qualytus SCP) (Oliveira, 2017).

Tabela 1. Paniculação e produtividade de plantas de trigo em casa de vegetação pelo tratamento do solo com suspensão de Trichoderma spp., Ipameri, Goiás, Brasil.

Fonte: Oliveira (2017)

No experimento conduzido por Oliveira (2017), o Trichoderma foi fornecido ao sistema de produção por meio de uma solução pulverizada no solo. Com base nos resultados obtidos pela autora e apresentados na tabela 1, a utilização de Trichoderma independente da cepa possibilitou significativo aumento da produtividade do trigo, além disso, conforme destacado por Oliveira (2017), o uso do Trichoderma proporcionou visual efeito no crescimento de plantas de trigo (figura 1).

Figura 1. Experimento em casa de vegetação – Representação dos tratamentos e suas produtividades a) T. harzianum ESALQ 1306 b) T. asperellum URM 5911 c) T. harzianum IBLF 006 SC d) T. harzianum IBLF 006 WP e) Fertilizante organomineral f) Testemunha.

Fonte: Oliveira (2017)

Além de ser colocado no solo, conforme observado por Pradebon (2016), o Trichoderma pode ser utilizado nas sementes ou parte aérea do trigo. Com o objetivo de avaliar a eficiência do controle de doenças da cultura do trigo com a utilização de produtos químicos e de controle biológico com o uso de Trichoderma spp, aplicados em tratamento de sementes e aplicação aérea avaliando a sua influência no rendimento de grãos (Pradebon, 2016), o estudo realizado pelo autor evidenciou que o Trichoderma spp quando aplicado nas sementes + parte aérea do trigo apresenta maior contribuição para a produtividade do trigo do que o fungo aplicado somente nas sementes.

Tabela 2. Rendimento de grãos, número (Nº) de espiguetas por espiga, número (Nº) de grãos por espiga submetido a diferentes tratamentos com produtos biológicos e químicos para o controle de doenças. IRDeR, Augusto Pestana – RS, 2016.

Fonte: Pradebon (2016)

Seja no manejo de doenças ou como promotor de crescimento, o Trichoderma spp é uma ótima opção pensando em sustentabilidade do trigo, podendo ser considerado uma ferramenta complementar no cultivo do trigo visando boas produtividades.

Confira o trabalho completo de Pradebon (2016) clicando aqui!

Referências:

PRADEBON, P. R. AVALIAÇÃO DE APLICAÇÃO DE TRICHODERMA SPP NA CULTURA DO TRIGO (Triticum aestivum L.). Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Trabalho de Conclusão de Curso, 2016. Disponível em: < https://bibliodigital.unijui.edu.br:8443/xmlui/bitstream/handle/123456789/4182/Paulo%20Roberto%20Pradebon.pdf?sequence=1&isAllowed=y >, acesso em: 02/06/2021.

SILVA, D. R. AVALIAÇÃO DE BACILLUS SUBTILIS, TRICHODERMA, E AZOSPIRILLUM NA CULTURA DO TRIGO (Triticum aestivum L.). Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Trabalho de Conclusão de Curso, 2017. Disponível em: < https://bibliodigital.unijui.edu.br:8443/xmlui/bitstream/handle/123456789/4921/Dionatas%20Rodrigues%20da%20Silva.pdf?sequence=1&isAllowed=y >, acesso em: 02/06/2021.

OLIVEIRA, J. B. PROMOÇÃO DO CRESCIMENTO E DA PRODUTIVIDADE DE TRIGO PELO EMPREGO DE CEPAS COMERCIAIS DE Trichoderma spp. Universidade Estadual de Goiás, Dissertação de Mestrado, 2017. Disponível em: < http://200.137.241.33/bitstream/tede/458/2/Dissertao_Jessica_Borges.pdf >, acesso em: 02/06/2021.

Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube)

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.