Além de ser considerados micronutrientes essenciais para o desenvolvimento vegetal, Cobalto (Co) e Molibdênio (Mo) apresentam participação do processo de fixação biológico de nitrogênio (FBN). O Cobalto participa da síntese de cobamida e da leghemoglobina nos nódulos, enquanto o Molibdênio atua como cofator nas enzimas nitrogenase, redutase do nitrato e oxidase do sulfeto, além de estar intimamente relacionada com o transporte de elétrons durante as reações bioquímicas (Sfredo & Oliveira, 2010).

Normalmente esses micronutrientes são adicionados ao tratamento das sementes (TS) para suprir a demanda da cultura, entretanto, com a vasta gama de produtos adicionados ao TS, algumas vezes é possível observar elevada carde de produtos sobre a sementes. Visando reduzir a quantidade desses produtos via TS, tanto Co quanto Mo podem ser aplicados em pós emergência da soja, via aplicação foliar.



Naturalmente o Cobalto é considerado um nutriente móvel no floema, mas quando aplicado via foliar, tende a ficar parcialmente móvel. Já Molibdênio tem média mobilidade no floema e mais de 58% do Mo requerido pela soja é absorvido nos primeiros 45 dias (Sfredo & oliveira, 2020).

 Embora Sfredo & Oliveira (2020) recomendem a aplicação de Co e Mo via foliar até 15 dias após semeadura da soja, nas doses de 2 a 3 g.ha-1 e  12 a 25 g.ha-1 respectivamente, a maior parte dos estudos envolvendo a resposta produtiva da soja em função da aplicação foliar desses micronutrientes tem como base a aplicação em V5.

Conforme observado por Agnes et al. (2018), a aplicação de Co e Mo entre V4 e V6 possibilita aumenta o número de vagens por plantas, o peso de mil grãos e consequentemente produção final. Em comparação a testemunha, a qual não recebeu aplicação foliar de Co e Mo, os autores observaram produtividade até 1.040 kg.ha-1 superior no melhor tratamento.

Tabela 1. Média da altura (cm planta ha–1), número de vagens por plantas (NVPP) (unidade planta ha–1 ), peso de mil grãos (g) e produção (sacas por ha–1) da soja sob diferentes doses de COMO. Aplicações realizadas em V5.

Fonte: Agnes et al. (2018)

Incrementos de produtividade da soja em função da aplicação foliar de Co e Mo também foram observados por Ferreira et al. (2018), evidenciando a contribuição da aplicação foliar desses micronutrientes no aumento produtivo da soja. Sendo assim, a aplicação tanto de Co quanto de Mo via foliar pode ser uma prática viável visando suprir o requerimento da cultura e necessidades da FBN, especialmente pela mobilidade desses nutrientes. Logo, a aplicação foliar de Co e Mo pode ser uma interessante alternativa em algumas situações em que não é possível adicioná-los no TS.


Veja mais: Coinoculação da soja realmente contribui para o aumento da produtividade?


Referências:

AGNES, B. A. P. et al. APLICAÇÃO DE COBALTO E MOLIBDÊNIO NA CULTURA DA SOJA. Journal of Agronomic Sciences, Umuarama, v.7, n.2, p.53-60, 2018. Disponível em: < https://www.researchgate.net/publication/327096972_APLICACAO_DE_COBALTO_E_MOLIBDENIO_NA_CULTURA_DA_SOJAm >, acesso em: 13/10/2021.

FERREIRA, A. G. et al. DESEMPENHO AGRONÔMICO DE CULTIVARES DE SOJA EM FUNÇÃO DE DIFERENTES MÉTODOS DE APLICAÇÃO DE COBALTO E MOLIBDÊNIO. Revista Cultivando o Saber, 2018. Disponível em: < https://www.fag.edu.br/upload/revista/cultivando_o_saber/5b0d87aab2ff5.pdf >, acesso em: 13/10/2021.

SFREDO, G. J.; OLIVEIRA, M. C. N. SOJA: MOLIBDÊNIO E COBALTO. Embrapa, Documentos, n. 322, 2010. Disponível em: < https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/18872/1/Doc_322_online1.pdf >, acesso em: 13/10/2021.

Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.