A buva (Conyza spp.) é uma das principais plantas daninha na cultura da soja, causando perdas de produtividade significativas pela matocompetição com a cultura. Além a alta produção de sementes e dispersão facilitada, a planta daninha é de complexo manejo, apresentando resistência a diversos herbicidas inclusive o glifosato, herbicida mais utilizado no controle de plantas daninhas na soja RR.

A associação entre herbicidas como glifosato e 2,4-D durante um bom período foi muito utilizada em dessecações para o controle de plantas daninhas. Entretanto a utilização do 2,4-D para controle da buva passou a não surtir desejada eficiência, resultando em dificuldades no controle da daninha, principalmente em estádios mais avançados do seu desenvolvimento.

Segundo Roman et al. (2005), o 2,4-D é um herbicida hormonal, mimetizador de auxinas que atua basicamente causando desordem no crescimento vegetal e levando a planta a morte. Além da conhecida resistência da buva ao glifosato, ao clorimuron e mais recentemente ao paraquate, em vídeo o professor da Universidade Federal do Paraná – UFPR e supervisor do grupo Supra Pesquisa Alfredo Albrecht destaca que a buva vem apresentando sintomas de resistência ao 2,4-D.



O principal sintoma observado nas plantas é a rápida necrose logo após a aplicação do produto. Segundo Alfredo a rápida necrose pode ocorrer em menos de duas horas em condições adequadas de radiação solar e temperatura. Esse efeito da rápida necrose pode ser uma resposta de resistência da planta ao herbicida, pois após a rápida necrose, o caule das plantas continua verde promovendo em alguns casos o rebrote da buva.

Figura 1. Resposta de plantas de buva a aplicação de 2,4-D.

Cabe destacar que esse sintoma pode não ser observado em todas as plantas de buva, estando relacionado com o genótipo da planta. Conforme destacado por Alfredo, os sintomas típicos causados por herbicidas auxínicos em plantas de buva incluem plantas encarquilhadas, com epinastia e tortas.

Veja também: Com a proibição do Paraquate, entenda o que muda no manejo de plantas daninhas após o dia 22/09/2020

Figura 1. Plantas de buva sob influência da aplicação de diferentes associações de herbicidas aos sete dias após a aplicação. A – testemunha; B – associação entre glifosato + 2,4-D; C – glifosato + triclopir; D – Glifosato + Dicamba.

Adaptado: Professores Alfredo & Leandro Albrecht.

A rápida necrose da buva pode ser um indicativo da resistência dessa planta daninha ao 2,4-D, dando uma falsa impressão de controle da buva. Contudo, cabe destacar que até o momento o efeito da rápida necrose tem sido observado apenas com a aplicação do 2,4-D, entretanto o grupo Supra Pesquisa vem estudando o possível surgimento desse efeito com o uso dos demais herbicidas auxinícos.

Confira o vídeo abaixo onde o Professor Alfredo Albrecht explica detalhadamente o assunto.


Inscreva-se agora no canal dos Professores Alfredo & Leandro Albrecht, aqui.



Referências:

ROMAN, E. S. et al. COMO FUNCIONAL OS HERBICIDAS. Passo Fundo, 2005.

 

1 COMMENT

  1. Olá.
    Bom dia.
    Tudo bem.
    Uma dúvida!
    Se eu usar 2 4 D mais glifosato daqui uns 10 dias o que pode acontecer com as plantas frutíferas e os parcerias?
    Não vai prejudicar!

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.